in ,

O primeiro mapa completo dos recifes de corais tropicais em águas rasas está aqui

Allen Coral Atlas Mongabay 1024x575 1
  • Cientistas completaram o primeiro mapa global em alta resolução dos recifes de corais tropicais em águas rasas.
  • Quando combinado com uma ferramenta integrada que rastreia eventos globais de branqueamento de corais em tempo quase real, o novo recurso fornece uma visão abrangente das tendências e mudanças na saúde global dos recifes de corais.
  • Ainda que a conclusão do mapa já seja uma conquista em si mesma, os cientistas por trás do Allen Coral Atlas dizem que esperam que o novo recurso estimule ações para melhorar a proteção dos recifes de coral.
  • A nova plataforma de mapeamento já está sendo usada para apoiar projetos de conservação em mais de 30 países, incluindo a designação de áreas protegidas marinhas e para informar os planos espaciais marinhos.

Os cientistas concluíram o primeiro mapa global de alta resolução dos recifes de coral tropicais em águas rasas do mundo. O mapa faz parte do Allen Coral Atlas , uma plataforma de monitoramento de recife de coral amigável e de acesso aberto, que agora é o recurso mais abrangente, consistente e continuamente atualizado disponível, de acordo com os desenvolvedores.

Embora os recifes de coral cubram apenas 1% do fundo do oceano, eles abrigam um quarto de todas as espécies marinhas. Eles também fornecem proteção costeira, segurança econômica e proteína alimentar para centenas de milhões de pessoas.

No entanto, os recifes de coral estão entre os ecossistemas mais ameaçados do mundo. Apenas nos últimos cinco anos, as ondas de calor no mar desencadearam três eventos de branqueamento em massa de corais que contribuíram para a perda de 50% dos corais em alguns locais.

Com a pressão sobre os cientistas, gestores de recifes e formuladores de políticas para implementar medidas de conservação para proteger esses importantes ecossistemas, o acesso a dados disponíveis e precisos sobre a localização e o status dos recifes é vital.

A nova plataforma de mapeamento, que inclui uma ferramenta de detecção de branqueamento – lançada no início deste ano e que rastreia eventos de branqueamento de corais em tempo quase real – oferece uma visão geral sem precedentes das tendências e mudanças na saúde global do recife de coral, diz a equipe de desenvolvimento, que compreende cientistas, tecnólogos e gerenciadores de dados da Arizona State University (ASU), da University of Queensland na Austrália, da National Geographic Society, Planet e Vulcan.

Embora a conclusão da plataforma de mapeamento seja uma conquista em si, os cientistas por trás da plataforma dizem que esperam que o novo recurso estimule ações para melhorar a proteção dos recifes de coral.

“O verdadeiro valor do trabalho virá quando os conservacionistas de corais forem capazes de proteger melhor os recifes de corais com base nos mapas de alta resolução e no sistema de monitoramento”, disse Greg Asner, diretor administrativo do Allen Coral Atlas e diretor do Centro de Descoberta Global da ASU e Conservation Science, em um comunicado. “Devemos apostar e usar essa ferramenta enquanto trabalhamos para salvar os recifes de coral dos impactos de nossa crise climática e outras ameaças”.

Um membro do Allen Coral Atlas olha para o mapa durante o desenvolvimento da plataforma. Foto: Allen Coral Atlas

Uma colaboração global

Os pesquisadores gastaram três anos nos mapas dos recifes de coral, durante os quais analisaram mais de 2 milhões de imagens de satélite de alta resolução e reuniram dados dos recifes de coral de mais de 450 equipes de pesquisa em todo o mundo.

Usando imagens de satélite da empresa americana Planet , dados de habitat novos e existentes, as profundidades da água e a verificação baseada em objetos, os pesquisadores empregaram o aprendizado de máquina semiautomático para classificar rapidamente os amplos habitats e geomorfologia subjacente de áreas marinhas costeiras rasas para uma profundidade entre 10 e 15 metros.

O mapa completo cobre 253.000 quilômetros quadrados de recifes de coral rasos e captura características subaquáticas com detalhes sem precedentes. Ele revela a extensão dos recifes de coral e cinco outros componentes bentônicos do fundo do mar , incluindo areia, rocha e tapetes de ervas marinhas, e descreve 12 atributos estruturais de mares rasos, incluindo encostas de recifes, cristas, planícies e lagoas. As imagens de satélite também fornecem uma representação visual de fatores abióticos, como a exposição das ondas e turbidez.

Benthic Map Central South Pacific 1536x1081 1 1024x721 1
Os mapas bênticos comunicam a composição do fundo do oceano. Há um total de 6 classes bentônicas identificadas no Allen Coral Atlas (nomes em inglês no mapa). Este local fica no sul do Pacífico. Foto: Allen Coral Atlas

Para mudar o jogo da conservação

Métodos tradicionais de mapeamento e monitoramento marinho usando fotografia aérea e técnicas de mergulho, mergulho com snorkel ou sonar são demorados e muitas vezes proibitivamente caros. Os pesquisadores envolvidos na iniciativa afirmam que a avaliação rápida das áreas de recife fornecida pelo Allen Coral Atlas é uma virada de jogo e já está sendo usada para apoiar projetos de conservação em mais de 30 países, da Indonésia, Filipinas e Mianmar, ao Quênia, Moçambique e Fiji.

Em particular, o recurso de mapeamento online pode fornecer os dados básicos sobre os quais as propostas para áreas marinhas protegidas e planos espaciais marinhos podem ser construídas. Os dados são especialmente úteis em regiões não mapeadas anteriormente.

“Existem países, organizações e agências governamentais no mundo que não têm um mapa de seus recifes. Então, esses mapas ajudarão as pessoas, basicamente, fornecendo uma linha de base para avaliar melhor onde a ação é necessária”, disse ao Mongabay, Chris Roelfsema, principal investigador de mapeamento da o Allen Coral Atlas e pesquisador sênior da Universidade de Queensland. “Podemos fazer planos melhores para áreas marinhas protegidas, ou podemos extrapolar a biomassa de peixes ou olhar para os estoques de carbono e todo esse tipo de coisa que até agora não era possível”.

A nova plataforma também pode ajudar a identificar pressões mais amplas, incluindo fontes de poluição e escoamento e destruição após eventos agudos como ciclones ou encalhes de navios.

Combinado com o sistema de detecção de branqueamento de corais que foi lançado como parte da plataforma no início deste ano, os mapas do Allen Coral Atlas permitem que cientistas e gestores de recifes vejam onde e em que medida o branqueamento provavelmente está ocorrendo, bem como onde não há branqueamento. Isso pode ajudar os gerentes a reduzirem pressões como mergulho recreativo e pesca comercial em recifes que estão sob estresse e identificar recifes mais resilientes com corais resistentes ao calor que poderiam ser usados ​​para fins de restauração.

Tanzania Field Research 1536x1152 1 1024x768 1
Michael Markovina, o diretor do Programa Marinho da Wildlife Conservation Society para a Tanzânia, realiza pesquisas de campo. Foto: Michael Markovina

Este recurso de vigilância do branqueamento destaca a situação dos recifes de coral em face da mudança climática. Com modelos prevendo que 70-90% dos recifes de coral do mundo desaparecerão nas próximas três décadas se não tomarmos medidas para mitigar os efeitos das mudanças climáticas e outras pressões antrópicas, o acesso universal a mapas que informam os usuários sobre a saúde dos corais recifes é um aspecto importante da plataforma.

“Precisamos proteger os recifes de coral em todas as frentes”, disse Roelfsema. “Isso precisa começar com uma gestão localizada usando áreas marinhas protegidas, reduzindo as atividades prejudiciais e auxiliando na reabilitação. Todos nós estamos conectados ao oceano e aos recifes. A mudança climática está impactando esses recifes e todos nós estamos impactando a mudança climática”.

Roelfsema diz que espera que a capacidade do Allen Coral Atlas de envolver as pessoas em todo o mundo na ciência dos recifes de coral ajude a garantir a sobrevivência do ecossistema a longo prazo. “Uma vez que você envolve as pessoas, elas entendem melhor e aprendem a cuidar disso”.

O post O primeiro mapa completo dos recifes de corais tropicais em águas rasas está aqui apareceu primeiro em ((o))eco .

Fonte

O post “O primeiro mapa completo dos recifes de corais tropicais em águas rasas está aqui” foi publicado em 13th September 2021 e pode ser visto originalmente diretamente na fonte ((o))eco

GSC 9112 1024x684 1

Luta contra a fome e a sede: realidades duras enfrentadas pela fauna pantaneira

Salário de professor deve ficar isento de IR, determina projeto