in ,

NÃO TIRE A MÁSCARA, TIRE O GENOCIDA

jun2Bnao2Btire2Ba2Bmascara2B19j

jun2Bnao2Btire2Ba2Bmascara2B19j
Reproduzo aqui o texto do Juntos! sobre os protestos anti-Bolso marcados para o próximo sábado, 19 de junho.

bolso2Btire2Bo2Bbolso2Bnao2Ba2Bmascara
Na última quinta-feira (10/06), Bolsonaro mais uma vez demonstrou seu total desprezo pela vida dos brasileiros ao anunciar que o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, vai divulgar um parecer que desobriga o uso de máscaras por aqueles que já tiveram covid-19 ou já foram vacinados. No Brasil, frente ao baixo número de imunizados, alta propagação do vírus e surgimento de novas variantes, sabemos que o uso de máscaras é crucial para preservar vidas. A fala absurda de Bolsonaro reforça a necessidade da luta pela retirada desse genocida do poder que, como o último dia 29 de maio nos mostra, exige que ocupemos as ruas!

ato2Bfora2Bbolso2Bdf2B292B52B212Bfora2Bbolsovirus
O dia 29M foi uma data notoriamente histórica, que marcou a luta contra o vírus, a fome, o fascismo e, principalmente, pelo impeachment de Jair Bolsonaro. Manifestantes exigiam “Vacina, pão, saúde e educação!”, “Vacina Já”, “Impeachment Já”, “Comida no Prato e Vacina no Braço” e “Fora Bolsonaro Genocida”. Cerca de 420 mil pessoas se reuniram em mais de 200 cidades espalhadas por todos os cantos do país. Em São Paulo, mais de 80 mil pessoas se reuniram, ocupando quase 10 quarteirões inteiros. Apesar da pandemia, houve um esforço com as medidas sanitárias nos atos, um grande diferencial entre as aglomerações pró-genocida. A gritante presença dos jovens, do movimento negro, do movimento LGBTQI+ e da diversidade nas manifestações datam o início de uma nova jornada de lutas democráticas. 

jun2Bfora2Bbolso
Apesar da ausência de divulgação das imagens dos atos nos principais jornais da burguesia, sabemos que o dia 29 não aconteceu do nada. O acúmulo das contradições da crise do governo, os atos do dia 13 de maio contra a Chacina em Jacarezinho e os cortes na Educação semearam o início da mobilização para as ruas. Enquanto Bolsonaro for presidente, esse ritmo de mobilização deve seguir, assim como foi o 13J (início da Copa América), rumo ao 19J, próximo dia nacional de atos por Fora Bolsonaro! Sem dúvidas, no movimento estudantil, será fundamental a articulação das entidades estudantis para estar nas ruas com máscara, álcool em gel, distanciamento e indignação. 

jun2Bmateria

Ampliar o Fora Bolsonaro como ponto de encontro das lutas

jun2Bufrj2Bpode2Bfechar
A educação vem sofrendo ataques por parte da política bolsonarista. Além das intervenções arbitrárias e autoritárias que o presidente fez em pelo menos 20 instituições federais no país, nesses últimos meses várias universidades têm declarado estado de inviabilidade. O caso mais citado é o da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que mostra crise orçamentária. Caso a universidade feche as portas, junto com ela fecharão 9 hospitais universitários e unidades de saúde, 13 museus, mais de 1.450 laboratórios, 45 bibliotecas, um Parque Tecnológico com startups e empresas de protagonismo nacional e internacional, além de paralisar a pesquisa de duas vacinas nacionais. As universidades precisam ficar e o Bolsonaro precisa sair!

jun2Bprincipal
A luta em defesa da vacina e pelo fora Bolsonaro é cada vez mais urgente, e quando o governo é mais letal que o vírus ir às ruas é indispensável. Para a comunidade LGBTQIA+ ir às ruas no mês de junho tem um peso a mais: desde a revolta de Stonewall em 1969, este mês ficou marcado como um mês de luta e orgulho para as LGBTs. No 19J devemos fazer Stonewall de novo em defesa da vida, por comida no prato e por impeachment já.

jun2B19j
Não podemos nutrir a ilusão de que os nossos problemas serão solucionados com as eleições de 2022! Afinal, mesmo em meio à sua recente impopularidade,  Bolsonaro não é uma peça fora do tabuleiro, tem condições reais de ir para o segundo turno e o contexto político e econômico do próximo ano (como a já aventada alta das commodities) pode favorecê-lo na disputa eleitoral. Ao contrário das direções burocráticas que negam qualquer possibilidade de derrota do governo, precisamos apostar nas ruas como espaço de disputa por um outro futuro que não o da barbárie bolsonarista. Construir uma grande mobilização no  19J é a nossa tarefa imediata! Não tire a máscara, tire o presidente!

O post “NÃO TIRE A MÁSCARA, TIRE O GENOCIDA” foi publicado em 15th June 2021 e pode ser visto originalmente na fonte Escreva Lola Escreva

Câmara aprova projeto que autoriza laboratórios veterinários a produzir vacinas contra Covid-19

Prefeitura do Rio cria área protegida em ilha na Baía de Guanabara