in ,

Artesanato da Bahia: feito com a mão e com o tempo

Por Ângela Guimarães

Elemento fundamental da nossa identidade cultural, o artesanato tem impactos econômicos, sociais e ambientais, além de elevado potencial de ocupação e geração de renda. É uma dos principais segmentos que integram a economia criativa, conjunto de atividades que movimentou quase R$ 8 bilhões na economia baiana, correspondendo a 3,2% do valor agregado ao PIB estadual em 2018, segundo dados da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).

Como alternativa estratégica de desenvolvimento local, o fazer artesanal conta com atenção especial do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), que, até o final de 2021, vai investir R$ 5 milhões para fortalecer o segmento. A elaboração e o aperfeiçoamento das políticas públicas da área têm sido marcados pelo diálogo e incentivo à participação social de associações, cooperativas e grupos produtivos dos diversos territórios de identidade baianos, especialmente com a proposta de criação do Conselho Estadual do Artesanato, a ampliação do atendimento à categoria e a realização regular dos encontros estaduais de artesãs e artesãos.

Nesse processo, a Coordenação Estadual de Fomento ao Artesanato garantiu atenção especial ao artesanato indígena, da capoeira e quilombola. Os dois primeiros já foram contemplados com ações específicas, incluindo duas mostras no Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, no Porto da Barra, em Salvador, nos meses de abril e maio, respectivamente. A Mostra de Artesanato Quilombola está prevista para o mês de agosto.

A ampliação dos espaços para escoamento da produção de artesãs e artesãos é outra vertente de atuação do poder público. No final de abril, foi inaugurada a segunda loja Artesanato da Bahia, localizada no Salvador Shopping. Pela primeira vez, o artesanato da Bahia estará presente no II Festival de Economia Solidária São João da Minha Terra, que acontece de forma virtual, entre 13 e 30 de junho, com apresentações culturais e comercialização de produtos.

Durante a pandemia, a internet tornou-se uma grande aliada dos profissionais da área. Foi lançado o portal www.artesanatodabahia.com.br , canal direto para reforçar o contato do público com a produção de artesãs e artesãos, e será instituído um programa de qualificação em plataformas virtuais ainda neste mês de junho.

Com o objetivo de garantir a origem do produto artesanal do estado, foi criado o Selo Artesanato da Bahia e o Programa de Certificação do Artesanato Baiano.  As iniciativas contribuem com a preservação de bens tradicionais, estimulam o desenvolvimento de propostas inovadoras, favorecem o aprimoramento dos processos produtivos e incentivam a elevação da qualidade técnica.

Assim, o Governo do Estado desenvolve ações articuladas de valorização e preservação de saberes populares, que são transmitidos de geração em geração e permanecem vivos através de objetos, adereços, vestimentas e técnicas, que contribuem com o sustento de muitas famílias baianas e tornam-se patrimônio cultural do estado.

(Fonte: bahianoticias.com.b)

O post “Artesanato da Bahia: feito com a mão e com o tempo” foi publicado em 16th June 2021 e pode ser visto originalmente na fonte Rede de Gestores

img20210324160210406 768x512 1

Comissão aprova projeto que regulamenta uso de fogos de artifício no País

((o))eco é parceiro do Vozes da Floresta, projeto de bolsa-reportagem destinado a jovens comunicadores indígenas